José Rodrigues, Livros, Porto Editora

Dias de Outono – José Rodrigues

A paz mental é algo que a maturidade procura, mesmo de forma inconsciente…

José Rodrigues, Dias de Outono

SINOPSE

«O sentimento de felicidade pode dar medo. Medo de que, de repente, tudo se desmorone. Que o coração gele, depois de aquecer. Que a pele esfrie, depois de recolher os melhores pedaços do Sol.»

Os dias de Miguel são divididos entre a intensa atividade profissional e o apoio a Teresa, a sua tia, institucionalizada com uma doença irreversível. Na família encontra o conforto dos seus dias agitados, com Catarina e os filhos André e Tiago.
As alterações recentes na administração do banco onde trabalha, a degradação do casamento e os problemas vividos pelo filho adolescente levam Miguel a questionar as opções de vida. Ao mesmo tempo, retoma as memórias mais antigas, incluindo a sua vila no interior e a casa onde nasceu e viveu, criado por Teresa, num ambiente de permanente felicidade.
Quando o mundo de Miguel parece desabar, passado e presente unem-se numa longa jornada de salvação e de mudança de prioridades, onde o amor se transforma no principal caminho para a reconstrução da felicidade, mesmo quando a perda e a saudade pareciam não querer dar tréguas…

SINOPSE ALARGADA & OPINIÃO

Ao longo deste livro conhecemos a vida de Miguel, um homem natural de uma pequena vila nortenha, de onde partiu há muitos anos rumo à capital para estudar. Em Lisboa conheceu Catarina, a mãe dos seus dois filhos, André e Tiago.

De Vilar de Centena trouxe a sua tia Teresa, quando esta começou a sofrer de Alzheimer, internando-a numa instituição especializada. Esta senhora é a luz dos olhos do sobrinho, uma segunda mãe para ele, a representação da felicidade que viveu em tempos.

Miguel tarde se apercebeu que a vida lhe fugia entre os dedos. Somente quando a sua vida profissional, pessoal e familiar começou a desmoronar a olhos vistos tomou consciência que as suas prioridades há muito estavam trocadas. Foi preciso o futuro do seu filho mais novo, Tiago, estar seriamente ameaçado para que tomasse uma atitude.

A vida deste homem tomou, a partir deste momento, um rumo inesperado, que só a coragem de um pai extremoso tornou possível. Num vaivém de acontecimentos que abalam o mais forte dos corações vamos acompanhar esta história de amor e saudade.

Existem diversos escritores muito dotados, alguns com escritas tão complexas que nem sempre estão ao alcance do comum mortal. Depois existem escritores como José Rodrigues que com uma simplicidade e enorme leveza montam uma narrativa fluída, com uma escrita cuidada e carinhosa e nos transporta até lugares, cheiros e, sobretudo, sentimentos. Por estranho que possa soar, é o que sinto ao ler os seus livros, que cada palavra, cada frase, carrega sentimentos. Não é uma escrita oca, pelo contrário, impele-me sempre a pensar na minha própria vida, nas decisões que tenho tomado, na forma como trato quem me rodeia.

Julgo nunca ter mencionado isto, mas não aprecio de todo livros puramente de autoajuda, incomoda-me a ideia de roteiros que nos tentam ensinar como conduzir a nossa própria vida, que é algo tão pessoal, tão único. Neste sentido, agrada-me o impacto que este romance poderá ter na vida de determinadas pessoas, relembrando-as que não basta amar, por vezes temos realmente de dar mostras desse sentimento e de priorizar as pessoas mais importantes da nossa vida!

Esta história tão familiar, que facilmente poderia ser a de qualquer um de nós, repleta de altos e baixos, permitiu-me viver as dores e as alegrias de cada uma das personagens como se fossem as minhas e daí retirar preciosos ensinamentos.

Existem dois momentos-chave, um deles em que me deu um enorme aperto na garganta e dificuldade em engolir, e outro pelo qual ansiei durante muitas páginas, que me colocou com um sorriso no rosto.

Por vários motivos foi um prazer ler este livro, ou não fosse o Outono a minha estação favorita, com tudo o que ela implica. Roubei meio ponto ao livro pelo simples facto de que queria um final que não me tivesse deixado no vácuo e talvez por um acontecimento, em particular, que me pareceu demasiado sensato para ser verosímil.

Com pena minha, verifiquei que Vilar de Centena é um lugar ficcional, certamente inspirado num qualquer lugar deste Portugal. Deixo como habitualmente alguns dos cenários deste livro.

Não posso deixar de referir que as fotografias da Sara Augusto são parte integrante deste livro e que o tornam mais especial ainda.

Rita Costa

Podem adquirir este livro aqui.

Um especial obrigada à Porto Editora.

2 opiniões sobre “Dias de Outono – José Rodrigues”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s