Editorial Presença, Ken Follett, Livros

O Buraco da Agulha – Ken Follett

Cumprimentos ao Willi.

Ken Follett, O Buraco da Agulha

A minha estreia com este renomeado escritor não poderia ter sido melhor!

SINOPSE

O Buraco da Agulha, primeiro bestseller internacional de Ken Follett, é uma narrativa emocionante sobre como o destino da guerra depende de um espião, do seu adversário e de uma mulher corajosa.

A vitória está no horizonte.

1944. Nas semanas que antecedem o Dia D, os Aliados camuflam os seus planos de invasão com elaborados engodos constituídos por imitações de navios e de aviões. Se forem bem-sucedidos e conseguirem fazer chegar as tropas aliadas à Europa continental, ficarão mais perto de pôr termo a uma guerra que assolou o mundo durante anos a fio, vencendo a ameaça nazi.

Um assassino de sangue-frio.

A sua arma é um punhal, o seu nome de código: Agulha. É o melhor agente ao serviço de Hitler – um assassino profissional impiedoso. Em Inglaterra, descobre os planos dos Aliados para o Dia D, mas o seu disfarce é posto em causa durante a missão.

Uma perseguição mortal.

Deixando um rasto de corpos atrás de si, o agente Agulha abre caminho de forma implacável, em direção ao submarino que espera para o recolher e transportar, a ele e à mensagem crucial que leva consigo, para a Alemanha, com o MI5 no seu encalce. Mas não tinha planeado parar numa ilha fustigada pela tempestade onde habita uma mulher inesquecível…

SINOPSE ALARGADA & OPINIÃO

“O Buraco da Agulha” publicado em 1978 foi o primeiro bestseller de Ken Follett, um enorme orgulho para o escritor e um marco na literatura naquela época por ter como protagonista uma mulher, uma heroína.

Esta história ficcional com base em factos reais, devidamente suportada por um excelente trabalho de pesquisa histórica, transportou-me sem dificuldades para 1944, próximo do final da segunda Grande Guerra.

Aproximava-se o conhecido dia D, o desembarque das tropas na Normandia, a maior invasão por mar de toda a história. Os Aliados criaram um disfarce quase perfeito para ludibriar os muitos agentes secretos ainda infiltrados, uma gigante farsa com aviões, navios, tanques construídos em madeira e papelão, estrategicamente posicionados em Pas-de-Calais.

Este cenário visto do céu era totalmente credível, mas os olhos do melhor agente secreto de Hitler, Die Nadel, foram capazes de colocar em risco o plano para libertar finalmente os territórios europeus da ocupação nazi. O sucesso desta operação era vital para impedir que Hitler controlasse o resto do mundo e, por isso, os Aliados tudo fizeram para travar a Agulha.

Acompanhei esta história pela voz da Agulha, que tentava cumprir a mais importante das suas missões, de Godliman, um professor e historiador arrastado para a força secreta inglesa e de Lucy, uma mulher que se viu forçada a isolar-se numa ilha quase deserta depois de um trágico acidente.

Quando iniciei a leitura, os avanços foram lentos, inclusive temi não apreciar, como expectava. No entanto, à medida que a história avançava foi-se tornando cada vez mais interessante e difícil de abandonar. Acabei, ridiculamente, por tomar um partido e vibrar com os desenvolvimentos, ao contrário do escritor que ao longo de toda a história foi neutro.

Depois de ter lido na “Introdução à Edição” que havia neste livro uma mulher-heroína, imaginei uma participação mais ativa na história e, sobretudo, mais cedo. Ainda assim, tenho que reconhecer valor, porque nunca antes uma mulher tinha ocupado esta posição, muito embora, em parte, tenha sentido o papel feminino ligeiramente manchado por uma caracterização que me causou uma mistura de sentimentos, orgulho e vergonha.

Para meu espanto, descobri que este escritor é extremamente entendido em orgasmos femininos e em descrições sexuais dignas de um romance erótico.

Como referi a princípio, este livro foi uma excelente forma de me iniciar na vasta obra de Ken Follett, um romance de espionagem com todos os ingredientes necessários para o sucesso. Foi emocionante acompanhar a missão (impossível) de Die Nadel.

Rating: 9 out of 10.

Nas imagens seguintes estão alguns dos cenários mencionados ao longo deste livro.

Finalizada a leitura, decidi rematá-la com a visualização do filme que se baseou nesta obra. Infelizmente não apreciei e, pior, destruiu por completo a incrível imagem que construí do espião alemão. O livro é indiscutivelmente superior! Mas, de qualquer modo, caso tenham interesse, deixo a capa do filme e algumas imagens dos atores.

Nota: Este livro é a reedição do livro “O Estilete Assassino” e diga-se que é muito mais bonita! 😍

Rita Costa ❤

Podem adquirir este livro aqui.

Um especial obrigada à Editorial Presença.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s